Babysense monitor de apneia - Babysense


Babysense - Babysense monitor de apneia

Babysense - Babysense Breathing Movement Monitor


 

Durante o primeiro ano de vida (0-12 meses), muitos lactentes têm episódios de respiração irregular, podendo mesmo parar de respirar.
Este fenómeno não está bem explicado e pode acontecer a qualquer bebé, de termo ou prematuro, saudável ou não...

O Babysense é o primeiro monitor respiratório para bebés de uso doméstico.
Existe desde 1991 e está certificado internacionalmente como dispositivo médico, e encontra-se registado no Infarmed e na Associação Nacional de Farmácias.
É fabricado pela Hisense uma empresa certificada que tem por base a satisfação dos maiores padrões de qualidade dos seus produtos.

O Babysense, através da detecção de movimento, alerta para o caso da respiração do bebé parar, ou tornar-se anormalmente lenta.
Isto pode ser um sinal de apneia, que é considerado uma das causas da Síndrome da Morte Súbita do Lactente (SMSL). 

O Babysense pode igualmente detectar padrões irregulares de respiração causados por constipações, febres altas ou outras doenças.

O microprocessador instalado na unidade de controlo do Babysense está constantemente a monitorizar a respiração e movimentos do bebé.

Se o bebé parar de respirar durante 20 segundos, ou se a respiração baixar para menos de 10 movimentos por minuto o alarme dispara!

O Babysense vem com dois sensores que se colocam debaixo de colchão de forma a atingir a mais elevada sensibilidade ao mínimo movimento, sem tocar no bebé.
Este sistema permite um controlo seguro sem pôr em causa a mobilidade ou o conforto do seu bebé.
Durante os primeiros 3 meses utiliza-se apenas um sensor, pois o bebé ainda não rebola nem gatinha pela cama.
Assim que o bebé começar a movimentar-se coloca-se o segundo sensor, de modo a abranger a área total do berço, para se captar vibração em toda a dimensão do colchão.

Minimiza os falsos alarmes quando a criança começa a movimentar-se no berço, uma vez que as duas placas sensoras cobrem toda a área, possuindo a maior cobertura de área de todos os monitores do género.

Os dois sensores estão ligados à unidade de controlo, onde ficam igualmente as pilhas que alimentam o monitor.
Não existe nenhuma ligação a uma fonte de energia externa, não existindo por isso qualquer risco de eletrocussão.
Os sensores não transportam ou emitem qualquer tipo de energia. Uma luz vermelha pisca quando as pilhas precisarem de ser trocadas – duram aproximadamente 6 meses.

Em caso de paragem respiratória, o monitor emite um sinal sonoro de 85dB, suficientemente alto para ser ouvido em qualquer divisão de uma casa, mesmo quando a porta do quarto do bebé está fechada.

O monitor pode perfeitamente ser usado na alcofa.
(Desde que o estrado da alcofa seja uma superfície plana e estável do tipo contraplacado ou ripas, algo imprescindível para o monitor poder operar corretamente.)
Nesta situação utiliza-se 1 só sensor.

Funciona a pilhas e as placas estão ligadas ao receptor ou unidade de pais através de uma ficha "Rita" (tipo a ligação do telefone analógico).
Este tipo de ligação não sofre interferências com outros aparelhos como, p.e., telemóveis.

Detecta os movimentos respiratórios mesmo que na cama esteja colocada tenha uma capa de impermeabilidade da urina.

A espessura do colchão não é um problema para o Babysense.
Segundo o fabricante, em média, os colchões têm entre 13-15 cm no máximo e os sensores funcionam bem.
A recomendação do fabricante vai no sentido de não serem utilizados colchões em que o enchimento seja palha ou espuma de poliestireno (esferovite).

Os bebés prematuros ou de alto risco devem ter a supervisão de um profissional de saúde ou de um médico!

SWEET MAG

Acidentes domésticos

CRIANÇAS
sexta-feira, 30 outubro

Acidentes domésticos
"Os acidentes domésticos são muito comuns. Mesmo com todo o cuidado, há objetos e situações que representam risco e podem provocar acidentes (...)"
001910BS